Um Olhar Sobre as Práticas Culturais e a Comunicação na Área de Saúde: Estudo de Caso de uma Enfermeira Atuando como Diretora de Serviços Hospitalares

Escrito por  //  18 agosto, 2014  //  Edición 89, Informes de investigación  //  Sin comentarios

A Glance at the Cultural and Communication Practices in Health Area: a Case Study of a sNurse Working as a Director of Hospital Services 

Recibido: 04 de Enero 2014
Aprobado: 17 de Mayo 2014

Ricardo Shitsuka
Universidade Federal de Itajubá – UNIFEI
Brasil
ricardoshitsuka@unifei.edu.br

 

 

 

Dorlivete Moreira Shitsuka
Centro Universitário Claretiano e UNIESP
Brasil
dorlivete@uol.com.br

 

 

 

Rabbith Ive Carolina Shitsuka Risemberg
Universidad Federal Fluminense – UFF.
Estados Unidos
rabbith.ive@gmail.com

 

 

 

Resumen

Los profesionales de la salud se integra orígenes diversos y complementarios, tales como médicos, enfermeras, dentistas, farmacéuticos, fisioterapeutas, científicos biomédicos, biólogos y técnicos también varias modalidades. En Brasil, se estima que hay un déficit de al menos 350.000 enfermeras y la relación actual sería la mitad de una enfermera por cada médico, un hecho que por sí solo ya demuestra la desproporcionalidad (COFEN 2012). A menudo, el profesional de la medicina, puede ser la profesión más antigua, o ser responsable para el diagnóstico y tratamiento de la prescripción, se considera superior en comparación con otras profesiones como la cultura en el cuidado de la salud. Este trabajo tiene como objetivo presentar el estudio de caso de una enfermera que se desempeña como director de una unidad de salud del estado en el que cuenta con 50 empleados de diversas profesiones de la salud. Se realizó una investigación cualitativa, en vista de la necesidad de comunicación con los profesionales de diferentes orígenes, maletín profesional tuvo que manejar varias situaciones de comunicación que se estudian en la investigación. Los resultados indican que, en general, no hubo diferencia en la necesidad de tratamiento como profesionales, y sólo en algunos casos se tardó más es necesario negociar para desarrollar habilidades de comunicación para hacer frente a personal de más edad y con experiencia, también en relación sólo algunos médicos diferencian comunicación era necesario.

Palabras-clave: Cultura, Practicas culturales, Comunicación, Comunicación en los profesionales de la salud, Comunicación en La Gestión Hospitalaria

 Abstract

The health professionals integrates diverse and complementary backgrounds such as doctors, nurses, dentists, pharmacists, physical therapists, biomedical scientists, biologists and technicians also several modalities. In Brazil, it is estimated that there is a deficit of at least 350,000 nurses and the current ratio would be half a nurse for every doctor, a fact that by itself already shows disproportionality (COFEN 2012). Often the medical professional, may be the oldest profession, or be responsible for the diagnosis and prescription treatment, is considered superior compared to other professions as the culture in health care. This paper aims to present the case study of a nurse who serves as director of a state health unit in which has 50 employees of various professions in health. We conducted qualitative research, in view of the need for communication with professionals from many different backgrounds, professional case had to handle various communication situations that are studied in the research. The results indicate that, in general, there was no difference in the need for treatment as professionals, and only in some cases it took more trading is necessary to develop communication skills to deal with older and experienced staff, also in relation just some physicians differentiated communication was necessary.

Keywords: Culture, Cultural practices, Communication, Health professionals, Communication on hospital management.

 Resumo

A área de saúde integra profissionais de formações diversas e complementares como é o caso de médicos, enfermeiros, cirurgiões dentistas, farmacêuticos, fisioterapeutas, biomédicos, biólogos e também os técnicos de diversas modalidades. No Brasil, estima-se que haja um déficit de pelo menos 350 mil enfermeiros e que a relação atual seria de meio enfermeiro para cada médico, fato que por si já mostra a desproporcionalidade (COFEN, 2012). Muitas vezes o profissional de medicina, talvez pela profissão ser mais antiga, ou por ser o responsável pelo diagnóstico e prescrição do tratamento, é considerado como superior em relação às outras profissões da conforme a cultura na área de saúde. O presente trabalho tem como objetivo, apresentar o estudo de caso de uma enfermeira que atua como diretora de uma unidade de saúde estadual na qual conta com 50 funcionários de várias profissões da área de saúde. Realizou-se a pesquisa qualitativa, tendo em vista a necessidade de comunicação com profissionais de várias formações diferentes, a profissional do caso teve que lidar com situações de comunicação diversas que são estudadas na pesquisa. Os resultados indicam que, em geral, não se observou a necessidade de diferença no tratamento conforme os profissionais, e somente em alguns casos foi preciso mais negociação é necessário o desenvolvimento de habilidades de comunicação para lidar com funcionários mais antigos e experientes, também em relação a poucos médicos foi necessário alguma comunicação diferenciada.

Palavras-chave: Práticas culturais, Comunicação, Profissionais da saúde, Comunicação em gestão hospitalar.

Para leer contribución completa haga click AQUÍ

 

 

 

Acerca del autor
;

Ver todo lo publicado por

Dejar un comentario

Debes estar logged in para publicar un comentario.